.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.Quem nos visitou hoje?


contador gratis
Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Segunda-feira, 1 de Junho de 2009

General Motors declara falência

Empresa fica em 60 % nas mãos dos contribuintes, alargando de uma maneira inédita a intervenção governamental.

A sublinhar o novo papel do Governo na economia, Barack Obama deverá aparecer a meio do dia de hoje para anunciar na Casa Branca o seu apoio à reestruturação do gigante automóvel, à semelhança do que fez em Abril com a Chrysler.

O presidente e principal administrador da GM, Fritz Henderson, dará uma conferência de imprensa em Nova Iorque, a seguir à intervenção de Obama.

Quadros governamentais disseram na noite de domingo que o Executivo federal bombeará 30 000 milhões de dólares (21 200 milhões de euros) na GM, quando a empresa entregar no tribunal o pedido de declaração de falência.

Acresce a este valor os 20 000 milhões de dólares (14 100 milhões de euros) já transferidos do erário público em empréstimo à GM.

O dinheiro virá do que ainda sobra dos 700 000 milhões de dólares disponibilizados no início da presente crise para ajudas ao sector financeiro.

Os quadros governamentais, que pediram reserva do anonimato, disseram que a administração espera que o processo judicial dure entre 60 a 90 dias.

Se tudo correr bem, disseram, a GM reaparecerá como uma empresa mais magra, com menos força de trabalho e menos unidades industriais, mas mantendo as suas marcas de bandeira: Chevrolet, Cadillac, Buick e GMC.

"Ainda está muito sofrimento para vir, mas estou confiante em que isto é de longe melhor do que a alternativa", comentou no domingo o senador Carl Levin, depois de ter sido informado do projecto pelo Presidente Obama. "É um novo começo, um renascimento, uma nova General Motors."

A quota de pertença ao Estado e a gigantesca injecção financeira representa mais uma assinalável intervenção do Governo no sector privado norte-americano.

O Tesouro dos EUA tem aumentado a sua ajuda a bancos, ficou com a maior parte do conglomerado segurador American International Group e auxiliou a Chrysler no seu processo de falência.

Apesar da enorme dimensão do sector sob seu controlo, quadros governamentais disseram que é intenção do Executivo ficar distante das decisões do dia-a-dia, procurando ceder a sua comparticipação "assim que for praticável".

publicado por Ricardo Vieira às 17:06
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds