.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009

Senado norte-americano aprovou plano de estímulo à economia

O Senado dos Estados Unidos aprovou o “Plano de Recuperação e Reinvestimento” na economia norte-americana defendido pela Casa Branca, garantindo a sobrevivêndia da lei que o Presidente Barack Obama tem vindo a considerar urgente e fundamental para ultrapassar a recessão em que o país está mergulhado.

Numa votação dividida em termos partidários, a maioritária bancada democrata votou a favor da proposta, enquanto a republicana votou contra — com a excepção das senadoras Susan Collins e Olimpia Snowe, do Maine e do senador Arlen Specter, da Pensilvânia, que garantiram a maioria de 61 votos necessária para fazer passar a lei.

A proposta aprovada pelo Senado ascende aos 838 mil milhões de dólares, e tem uma maior componente de cortes fiscais do que a versão que passou na Câmara de Representantes, cujo enfoque centra-se sobretudo no investimento público.

O Presidente Barack Obama reclamou a acção urgente dos legisladores para a aprovação de legislação que permita injectar pelo menos 800 mil milhões de dólares na economia. A Casa Branca defende uma série de cortes fiscais para as famílias de classe média e ainda investimentos nas áreas da educação, saúde, energia e infraestruturas.

A proposta de lei entra agora na fase da conferência, durante a qual as duas câmaras do Congresso têm de reconciliar as suas propostas. Obama continua a querer assinar a legislação até ao feriado do Dia dos Presidentes, a 16 de Fevereiro.

publicado por Ricardo Vieira às 20:06
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds