.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Crise fecha mil oficinas

Mil oficinas de reparação automóvel estão a fechar em Portugal devido à crise instalada no sector, afirmou o presidente da Associação Nacional do Ramo Automóvel, António Teixeira Lopes.

"Estão a fechar 300 oficinas que eram nossas associadas e estimamos que no total já fecharam ou estão a fechar mil oficinas, o que é cerca de 10 por cento do sector", referiu António Teixeira Lopes, num encontro com jornalistas.

O presidente da Aran reconheceu que grande parte destes encerramentos se deve à crise no sector automóvel, que se reflecte também na quebra acentuada das vendas de veículos novos.

"Relativamente a 2007, ano em que se dizia que já tínhamos batido no fundo, prevemos que a quebra nas vendas de automóveis novos seja em 2009 entre os 15 e os 20 por cento, mais para os 20 do que para os 15", afirmou.

António Teixeira Lopes criticou o Governo por ter decidido apoiar apenas a indústria automóvel, deixando de parte o comércio e a reparação, áreas que empregam 80 mil pessoas, mais do que a indústria.

A crise no sector levou o presidente da Aran a escrever no início de Dezembro uma carta ao primeiro-ministro, José Sócrates, pedindo-lhe que tome medidas que reduzam os custos e compensem a redução de receitas das pequenas empresas.

"Não lhe pedimos dinheiro", salientou, afirmando que pediu na carta, nomeadamente, que acabe a "perseguição" ao sector, que tem sido multado "exageradamente" nas áreas ambiental e de trânsito.

Segundo António Teixeira Lopes, há oficinas que estão a fechar porque não têm dinheiro para pagar "coimas ambientais elevadíssimas, de 5.000 e 7.500 euros".

"Aplicaram 7.500 euros de multa ambiental por um pára-choques no meio do mato", exemplificou, acrescentando que também têm sido aplicadas coimas elevadas aos reboques de veículos.

O presidente da Aran referiu que o gabinete de José Sócrates já respondeu à carta, informando que remeteu os pedidos para o Ministério da Economia.

tags:
publicado por Ricardo Vieira às 20:16
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds