.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008

Sócrates considera investimento público "absolutamente essencial"

O primeiro-ministro, José Sócrates, defendeu esta quarta-feira que o investimento público é "absolutamente essencial" nesta altura de crise financeira internacional e destacou as energias renováveis como uma das principais apostas do Governo.

"Esta é uma daquelas crises que apenas se vive uma vez na vida", afirmou Sócrates, sublinhando que o seu impacto e a sua dimensão "obrigam a tomar medidas de emergência".

"Uma dessas medidas é reforçar o investimento público", acrescentou.

O primeiro-ministro falava em Viana do Castelo, onde foram inauguradas três fábricas e um centro administrativo e de formação do cluster eólico que a empresa alemã Enercon está a instalar naquele concelho.

José Sócrates garantiu que o investimento nas energias renováveis vai continuar, quer com o reforço da energia eólica quer com a construção de barragens, para aproveitar o potencial hídrico do país.

"Esta aposta na energia é absolutamente essencial para o futuro do País", disse ainda.

Uma das fábricas da Enercon inaugurada já funciona desde Agosto, custou 22 milhões de euros e produz torres de betão, empregando 110 trabalhadores.

Foram ainda inauguradas as fábricas de geradores e mecatrónica e o centro administrativo e de formação, que, no total, custaram 22 milhões de euros e empregam 200 pessoas.

A primeira fábrica do cluster entrou em funcionamento em Novembro de 2007, dedicando-se à produção de pás de rotor.

A Enercon vai ainda construir em Viana do Castelo, até finais de 2009, uma segunda fábrica de pás de rotor, um investimento de 55 milhões de euros que criará 500 postos de trabalho.

O cluster eólico vai significar um investimento de 200 milhões de euros e será ainda responsável pela criação de 10 mil postos de trabalho directos e indirectos.

Sócrates, que hoje foi nomeado "padrinho" do cluster, manifestou o seu "orgulho" por em apenas três anos ter nascido em Portugal "um dos mais modernos e competitivo clusters industriais" no campo das energias renováveis, sublinhando a sua importância para a diminuição da dependência do petróleo.

"A partir de agora, Portugal tem um caminho, uma orientação, uma estratégia no campo da energia", afirmou, para destacar o "mix" eólico e hídrico como o "coração" do desenvolvimento do País nos próximos anos.

tags:
publicado por Ricardo Vieira às 18:57
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds