.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008

Governo vai gastar 167,7 milhões de euros em estudos

Orçamento. Em compras de serviços, a factura total é de 1,25 mil milhões de euros

Em estudos, projectos e pareceres encomendados a gabinetes de advogados, de engenharia e consultores privados, o Governo vai gastar 167,7 milhões de euros em 2009, de acordo com o Orçamento do Estado ontem divulgado. No total, o Executivo vai gastar com compras de serviços aos privados mais de 1,257 mil milhões de euros, pouco mais de 0,7% do PIB previsto para o próximo ano, um acréscimo de 4,8%, bem acima do crescimento nominal da economia.

Ao gastar 167,7 milhões de euros em estudos, o Executivo corta cerca de 22 milhões de euros em relação ao orçamento de 2008 (inicial), mas em contrapartida - num total de 636,9 milhões de euros - planeia gastar mais 102 milhões de euros em trabalhos especializados, o que inclui também trabalhos de arquitectura ou engenharia de maior complexidade.

A factura com a rubrica "assistência técnica" - como reparações de máquinas, desde aparelhos de ar condicionado a infra-estruturas - absorve um bolo de cerca de 110,5 milhões de euros, um aumento de 20,4% em relação ao projectado nas contas públicas do ano passado.

Uma última parcela de despesas estatais foi englobada em "outros serviços". São pequenos trabalhos indiferenciados, desde carpintaria, construção civil a pequenas prestações de serviços. Os 15 ministérios de José Sócrates calculam gastos na ordem dos 341,9 milhões de euros. Ainda assim, trata-se de um corte de 40 milhões de euros em relação ao orçamento inicial de 2008.

Ao todo, as administrações públicas (incluindo os Serviços e Fundos Autónomos, como, por exemplo, o Serviço Nacional de Saúde) vão encomendar à economia a compra de bens e serviços no valor de 9,3 mil milhões de euros. Estas encomendas significam cerca de 25% dos impostos pagos pelos contribuintes.

Só no subsector Estado (excluindo serviços e fundos autónomos), a aquisição de bens e serviços ao sector privado vai crescer 6,3% em 2009, ascendendo a 1404 milhões de euros, revelam ainda os mapas de despesa da proposta de orçamento de Estado divulgada esta semana pelo Governo. Este custo corresponde a cerca de 13% da despesa total com pessoal.
tags:
publicado por Ricardo Vieira às 19:36
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds