.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Quinta-feira, 2 de Outubro de 2008

Compra de casa ao nível mais baixo de 5 anos

Crise do crédito. É o efeito mais visível da actual turbulência: a banca está a conceder menos crédito em Portugal. No segundo trimestre, o volume de empréstimos concedidos caiu 16% e a tendência deverá estar a agudizar-se neste momento

Novos créditos à habitação caem 15,7% no segundo trimestre

O aumento dos juros e o maior aperto na concessão de crédito - as consequências mais visíveis da crise financeira no bolso dos portugueses - está a ditar uma queda acentuada na procura de novos empréstimos à habitação. Uma realidade que os números vêm agora confirmar.

No segundo trimestre deste ano, o montante total concedido para novos créditos destinados à compra de casa caiu 15,77% face a igual período de 2007, enquanto o número de contratos celebrados diminuiu 17,81%, de acordo com dados da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, ontem divulgados. Trata-se da maior queda trimestral dos últimos cinco anos.

Entre Abril e Junho, os bancos portugueses concederam 2,9 mil milhões de euros para novos contratos de crédito à habitação, ou seja, é preciso recuar até ao primeiro trimestre de 2004 para encontrar um valor trimestral absoluto mais baixo. Em relação aos primeiros três meses deste ano, os montantes concedidos caíram 5,8%.

Em consequência, o número de novos contratos de crédito à habitação também diminuiu, baixando para as 30 mil escrituras no segundo trimestre, ou seja, menos cerca de sete mil que em igual período do ano passado.

No que respeita ao saldo total em dívida destes empréstimos, nos primeiros seis meses deste ano, existiam 94,9 mil milhões de euros concedidos para a compra de casa, distribuídos por 1,664 milhões de contratos em vigor. Isto significa que a dívida média à banca de cada família com um crédito à habitação é de 57 mil euros, contra um valor médio de 56,3 mil euros no final do ano passado.

Face ao final de 2007, o saldo de créditos à habitação existentes no sistema até Junho último cresceu 1,4%, enquanto o número de contratos quase estagnou, aumentando 0,2%.

Pedidos mais elevados

Os portugueses estão a pedir menos à banca para comprar casa, mas quem o faz endivida-se por valores mais altos. O valor médio de cada contrato foi, no segundo trimestre deste ano, de 96,3 mil euros, contra o valor médio de 93,7 mil euros, no final do ano passado.

O último mês de Junho registou o nível mais baixos de contratos e montantes concedidos desde 2004, tendo sido celebrados 9,5 mil contratos para um total de 940 milhões de euros concedidos.Uma tendência que só pode ter-se agravado ao longo dos últimos três meses.

De destacar igualmente que os contratos de crédito bonificado existentes no sistema continuam a diminuir, à medida que as famílias vão perdendo o direito à bonificação da sua taxa de juro (o crédito bonificado terminou em Setembro de 2002). Em Junho, ainda existiam 416 mil contratos com bonificação, menos 13 300 que no final do ano passado. Os montantes totais de créditos bonificados atingiam os 15,9 mil milhões de euros, menos 5% que no final do ano passado.
 

tags:
publicado por Ricardo Vieira às 20:37
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds