.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.Quem nos visitou hoje?


contador gratis
Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Quinta-feira, 4 de Março de 2010

O futuro do Turismo Rural português continuará incerto enquanto...

«O desenvolvimento que o TER poderá induzir nas realidades locais, não terá impactos únicos e exclusivos no mundo rural, ou sequer nos intervenientes directos deste segmento. O TER é uma ferramenta poderosa de desenvolvimento rural e regional e que toca variadíssimas áreas que afligem a sociedade civil e figuram nas agendas políticas, como a desertificação/desenvolvimento das zonas rurais; o desemprego; o crescimento económico, o ordenamento do território; a utilização de energias renováveis; a valorização das identidades locais; a degradação do património construído, entre muitas outras…
No 3º Congresso Europeu de Turismo Rural, (Eger, Hungria, 2007), as Profs. Elisabete Figueiredo e Elisabeth Kastenholz da Universidade de Aveiro reafirmavam que "o futuro do Turismo Rural português continuará incerto enquanto não houver capacidade e vontade para planear e gerir redes entre os diversos intervenientes do turismo em espaço rural, integrando na definição das políticas de desenvolvimento sustentável, além das visões dos stakeholders do sector, a percepção da população local que deverá beneficiar desse desenvolvimento turístico."
É neste sentido que defendemos insistentemente a concertação [...]»
 

Maria Celina de Lemos Godinho
(Presidente da Privetur)
 
 
[excerto da secção introdutória de documento intitulado "Projecto 5 x 5 5 Mil Casas em 5 Redes", da iniciativa da Privetur – Associação Portuguesa de Turismo em Espaço Rural; cortesia de João Duarte Soares]
publicado por Ricardo Vieira às 22:50
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds