.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.Quem nos visitou hoje?


contador gratis
Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Segunda-feira, 24 de Agosto de 2009

Trichet: "Caminho difícil" mesmo com sinais de recuperação

O presidente do Banco Central Europeu, Jean Claude Trichet, disse este fim-de-semana que já existem "sinais que confirmam que a economia real está a sair do período de queda livre", mas alertou que o caminho é ainda difícil.

Os bons indicadores "não querem dizer que não temos um caminho difícil pela frente", sublinhou o presidente do Banco Central Europeu, no simpósio que reuniu, em Jackson Hole, nos Estados Unidos, os banqueiros centrais mundiais.
Apesar de a economia mundial se ter contraído apenas 0,1 por cento no segundo trimestre, está ainda bastante ligada aos apoios estatais que os Governos têm dado para reanimar a economia e enfrenta também a maior taxa de desemprego na década e o mais baixo nível de empréstimos bancários desde que há registo.
"Mesmo com os bons indicadores que temos visto, há quem, dentro do BCE, questione a sustentabilidade da recuperação", disse Gilles Moec, um antigo responsável do Banco da França que é agora economista no Deutsche Bank, em Londres. "O BCE não está ainda preparado para acabar com as medidas excepcionais" que tomou desde o aparecimento da crise económica mundial, considerou.
Os bons indicadores não bastam para mudar a política monetária, confirmou o governador do Banco da Finlândia, Erkki Liikanen: "Não há razão para reavaliar a nossa política monetária", disse o governador finlandês, apoiado pelo congénere da Áustria. "Não há necessidade de uma reacção imediata", sublinhou Ewald Nowotny.
Quando for necessário, o BCE irá implementar uma "estratégia de saída [da crise] credível", e irá "tomar medidas rápidas para que a liquidez seja rapidamente absorvida logo que o ambiente macroeconómico melhore", concluiu Trichet.
Melhorias aparecem, novas industrias também, nova ordem mundial aparece e dita novas leis para o comércio Internacional, Portugal como qualquer outro país da União Europeia está a melhorar muito ligeiramente a sua economia, segundo as estatísticas Portugal deixou de cair no PIB abrandando o que acontecia com essa queda.
No entanto para mim só sairemos de uma crise quando os números do desemprego diminuir e a taxa de empregabilidade começar a aumentar e só nessa altura podemos falar de retoma economia e sim estaremos no dito crescimento económico tão desejado pelos cidadãos que estão fartos de apertar o cinto as suas contas.
Mas também digo que ainda iremos atravessar tempos difíceis nas nossas vidas, nada está perdido apenas temos de agir com cautela.
 
 
                                      Ricardo Vieira
 
publicado por Ricardo Vieira às 23:22
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds