.posts recentes

. Desabafo

. Um novo Código de Trabalh...

. O Som das Noites em breve...

. BAILOUT OU NÃO, EIS A QUE...

. Governo Português dá "exe...

. SAIR DO EURO

. PORTUGAL NA MODA

. O poder

. Portugal e os oceanos

. Dívida portuguesa aumenta...

.arquivos

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.Quem nos visitou hoje?


contador gratis
Vejo-te a ti No meu coração És aquela que Toca a música Chamada Amor És aquela Que me faz vibrar, Que me faz estremecer, Viver e aprender. És a minha musa inspiradora És a fonte da minha vida, do meu ser, Obrigado por seres quem és. Ricardo Vieira
Terça-feira, 21 de Julho de 2009

Terminal de Contentores de Alcântara foi mau exemplo de gestão financeira

                                 

O Tribunal de Contas (TC) considera que a prorrogação da concessão à Liscont do Terminal de Contentores de Alcântara (TCA) foi um mau negócio para o Estado e um mau exemplo de gestão financeira do sector público.

O contrato de concessão, celebrado pela Administração do Porto de Lisboa (APL), "não consubstancia nem um bom negócio, nem um bom exemplo, para o Sector Público, em termos de boa gestão financeira e de adequada protecção dos interesses financeiros públicos", refere o TC no relatório de auditoria hoje divulgado.

De acordo com as conclusões da auditoria,  a negociação com os bancos financiadores do projecto do clausulado jurídico do Aditamento ao Contrato, com especial relevo para os mecanismos de reposição e de manutenção do equilíbrio financeiro, agravou "as responsabilidades e os riscos do concedente público" .

O TC sublinha que a prorrogação do prazo das concessão do TCA não era a mais vantajosa para o Estado e defende que a solução "mais prudente" e que "melhor acautelava os interesses financeiros do concedente público" e dos contribuintes seria aguardar o termo da concessão, em 2015, para lançar concurso público.

Além de não ter podido beneficiar a concorrência, refere o TC, este processo evidenciou "a fragilidade negocial que o Tribunal tem vindo regularmente a apontar aos concedentes públicos".

Lá está mais uma boa gestão do nosso Ministro Mário Lino "O negocio é viável às varias partes participantes", e nós é que pagamos a factura dos negocio ruinosos do nosso Governo. Bem infelizmente em Portugal ainda é assim...

publicado por Ricardo Vieira às 23:15
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds